Se fui vítima de crime, preciso contratar advogado?

You are currently viewing Se fui vítima de crime, preciso contratar advogado?

Muitas pessoas acreditam que, se forem vítimas de crimes, só conseguirão responsabilizar os autores se contratarem advogado para isso. Ocorre que esse pensamento não condiz sempre com a realidade. Mesmo nos poucos casos em que um defensor é indispensável para fazer valer o direito da vítima, ainda assim é possível, caso a vítima não tenha condições financeiras, procurar a Defensoria Pública.

Resumidamente, para responder à pergunta do título desse post, temos que diferenciar três grandes categorias de crimes:

Crimes de ação penal pública incondicionada à representação.

Como exemplos de tais crimes, temos o furto, o roubo, o estupro, a lesão corporal contra a mulher por questão de gênero (violência doméstica) e, ainda, as lesões graves e gravíssimas contra quaisquer pessoas.

Para esses crimes, basta que a vítima ou um terceiro vá à Delegacia ou ao Ministério Público e narre o fato. A partir daí o Estado já é obrigado a apurar e punir o crime.

Nesses casos, a contratação de advogado ou a procura pela Defensoria Pública é dispensável. Contudo, isso pode ocorrer, se a vítima quiser, de modo que o advogado ou o defensor público atuarão representando a vítima como assistente de acusação, auxiliando o membro do Ministério Público (promotor de justiça ou procurador da república) com os trabalhos de acusação.

Crimes de ação penal pública condicionada à representação.

Como exemplos de tais crimes, temos a injúria racial, o estelionato, a ameaça (inclusive contra a mulher, até mesmo por questão de gênero), o perigo de contágio venéreo, a perseguição e, em regra, a invasão de dispositivo informático alheio.

Para esses crimes, é necessário que a vítima vá à Delegacia de Polícia Civil ou ao Ministério Público para oferecer sua representação, manifestando sua vontade de ver o fato e o seu autor processados. O prazo para a representação é de até 6 (seis) meses a contar da data em que a vítima sabe quem é o autor do seu delito. Se a vítima deixar esgotar esse prazo sem representar, então ocorrerá a decadência, o que extinguirá a punibilidade (não poderá haver punição).

Uma vez que a vítima tenha representado no prazo correto, não é necessário que contrate advogado ou constitua defensor público para atuar por si. Contudo, isso pode ocorrer, se a vítima quiser, de modo que o advogado ou o defensor público atuarão representando a vítima como assistente de acusação, auxiliando o membro do Ministério Público (promotor de justiça ou procurador da república) com os trabalhos de acusação.

Crimes de ação penal privada.

Como exemplos de tais crimes, temos a calúnia, a difamação, o dano ao patrimônio privado e a injúria (exceto a injúria racial).

Para esses crimes, por outro lado, é desnecessário que a vítima vá à Delegacia de Polícia Civil ou ao Ministério Público para narrar o crime, sendo recomendável, contudo, que ao menos registre boletim de ocorrência.

Entretanto, é absolutamente necessário que a vítima contrate advogado ou constitua defensor público para que o autor do crime seja processado, de modo que esses profissionais representarão a vítima como querelante em uma ação penal privada que se iniciará por meio do oferecimento da chamada queixa-crime. A queixa-crime deverá ser oferecida por esses profissionais no prazo de até 6 (seis) meses a contar do momento que a vítima soube quem é o autor do crime. Se a vítima deixar esgotar esse prazo sem que o advogado ou o defensor público tenha oferecido a queixa-crime, então ocorrerá a decadência, o que extinguirá a punibilidade (não poderá haver punição).

Compreenda mais no vídeo abaixo:


🌎 Acesse o meu site.

🔗 Siga o meu perfil no Instagram e curta minha página no Facebook para receber conteúdos jurídicos atualizados diretamente no seu feed. Siga-me também no Jusbrasil.

👨🏼‍🏫 Veja os cursos que leciono.

⬇️ Entre na lista de transmissão do WhatsApp/Telegram.

📧 Assine nossa newsletter para receber o conteúdo por e-mail.

📒 Adquira os livros que recomendo.

🎁 Acesse o presente que preparei pra você.


Lucas Cotta de Ramos

👨🏻‍💼 Advogado, professor e autor de artigos jurídicos.